Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Planos odontológicos batem recorde de beneficiários

Outubro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Em agosto de 2021, o número de beneficiários de planos exclusivamente odontológicos atingiu a marca de 28,3 milhões – o melhor resultado desde o início da série histórica em 2000. O número foi alcançado após o acréscimo de mais de 2,5 milhões de vínculos em 12 meses, representando alta de 9,8% no período. Os dados são da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 62, do IESS.

No intervalo analisado, os principais avanços por tipo de contratação foram dos planos individuais e familiares (17,5%) e dos planos coletivos empresariais (9,5%). O resultado de agosto deste ano mostra também que do total de beneficiários de planos exclusivamente odontológicos, 82,5% possuíam um plano coletivo. A proporção é similar ao cenário dos planos médico-hospitalares, conforme o IESS mostrou em outra oportunidade.

Houve crescimento de vínculos em todas as faixas etárias, com destaque para beneficiários com 59 anos ou mais (11,9%). Na análise por regiões do país, Sul (17,9%) e Norte (13,1%) tiveram os melhores desempenhos puxados pelas altas em Tocantins (39,4%) e Santa Catarina (32,7%). Já em números absolutos, o maior aumento foi em São Paulo, com 963.059 novos vínculos. A maior queda ocorreu em Roraima, cuja perda foi de 797 beneficiários entre agosto de 2020 e agosto de 2021.

O bom desempenho do setor também pode ser explicado pelo décimo segundo mês consecutivo em que o número de adesões superou a quantia de cancelamentos. Em agosto, por exemplo, o setor teve a melhor marca de 2021 com saldo positivo de 325.850 beneficiários.
Acesse aqui a íntegra da NAB 62.
 

O número de beneficiários de planos de saúde atinge a maior marca desde maio de 2016, ultrapassando 48,4 milhões de vínculos. No intervalo de 12 meses encerrados em julho de 2021, mais de 1,6 milhões de novos contratos foram firmados, valor que representa alta de 3,4%. Os planos odontológicos superaram o recorde histórico. São mais de 27,9 milhões de beneficiários.

NAB

Com acréscimo de 2,4 milhões em 12 meses, planos exclusivamente odontológicos batem novo recorde de beneficiários

Janeiro 2022
Salvar aos favoritos Compartilhar

Com acréscimo de 2,4 milhões em 12 meses, planos exclusivamente odontológicos batem novo recorde de beneficiários
 

Análise do IESS mostra avanço de 9,3% nas contratações entre novembro de 2020 e 2021


O número de beneficiários de planos exclusivamente odontológicos ultrapassou 28,9 milhões de vínculos após registrar avanço de 9,3% no período de 12 meses encerrados em novembro do ano passado. O resultado representa um acréscimo de 2.470.610 de pessoas que passaram a contar com essa forma de assistência. Os resultados são da Análise Especial da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 65, do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS).

No intervalo, o resultado foi impulsionado pela contratação de planos individuais e familiares (+14,6%) e de coletivos empresariais (+9,6%). Além disso, no recorte por faixa etária, todos os grupos contribuíram para o bom desempenho do setor, sobretudo os adultos e idosos: aumento de 10,2% entre os com 59 anos ou mais e 9,6% entre 19 a 58 anos de idade. Já na análise regional, o número de beneficiários cresceu em quase todos os estados brasileiros. Santa Catarina registrou alta de 31,9% e, novamente alta em Piauí, dessa vez de 25,7%. Os estados que registraram queda foram Sergipe (-0,3%) e Roraima (-0,1%).

Área de abrangência e os planos médico-hospitalares e odontológicos

A análise do IESS também mostra o comportamento de contratação de planos, segundo abrangência geográfica, que pode auxiliar a interpretação do crescimento do número de beneficiários. A abrangência geográfica é a área em que um plano privado se compromete a prestar assistência à saúde que foi contratada pelo beneficiário, instituições ou empresas.

Entre janeiro e novembro de 2021, a média de brasileiros que contavam com planos de assistência médico-hospitalar foi de 48,1 milhões. Desses, 44% contrataram o plano com abrangência de grupos de municípios (em mais de um e até 50% dos municípios do Estado) e 40%, com cobertura em todo o território nacional – o que representa uma proporção inversa e contínua, desde 2015, onde cerca de 43% tinham cobertura nacional e 40% em grupo de municípios. Já na contratação dos planos exclusivamente odontológicos, o número médio de beneficiários com cobertura Nacional mais do que dobrou entre 2011 e 2021, passou de 10,0 milhões para 20,4 milhões, representando 74% do total de beneficiários neste último ano.

“Esta análise especial mostrou que é diferente o perfil de contratação da área de cobertura em planos médico-hospitalares e exclusivamente odontológicos. Em 2021, por exemplo, nos planos de assistência médica, a proporção de nacionais e em grupo de municípios foi semelhante. Verificou-se também que há tendência de crescimento da contratação de planos que envolvam municípios, muito provavelmente pela questão do preço”, destaca José Cechin, superintendente executivo do IESS.

Veja a íntegra da NAB 65 aqui.

 

Sobre o IESS

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas. O Instituto busca preparar o Brasil para enfrentar os desafios do financiamento à saúde, como também para aproveitar as imensas oportunidades e avanços no setor em benefício de todos que colaboram com a promoção da saúde e de todos os cidadãos. O IESS é uma referência nacional em estudos de saúde suplementar pela excelência técnica e independência, pela produção de estatísticas, propostas de políticas e a promoção de debates que levem à sustentabilidade da saúde suplementar.

 

Mais informações

LetraCerta Inteligência em Comunicação

Vinícius Silva – [email protected]

(11) 94753-8787

 

Thiago Rufino – [email protected]

(11) 98770-0893

 

Jander Ramon – [email protected]

(11) 3812-6956

No intervalo entre novembro de 2020 e 2021, houve acréscimo de 1,3 milhão de vínculos nos planos médico-hospitalares. Entre os planos exclusivamente odontológicos, foram registrados 2,4 milhões de novos beneficiários no mesmo período. Confira também os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Para mais detalhes, baixe agora a NAB 65.

Mais de 2,5 milhões de brasileiros contrataram planos odontológicos em 12 meses

Dezembro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

O brasileiro segue contratando planos exclusivamente odontológicos mesmo após a chegada da pandemia de Covid-19. Entre outubro de 2020 e 2021, o segmento passou a contar com mais de 2,5 milhões de novos beneficiários (+9,7%), segundo dados da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 64, do IESS. Desse resultado, mais de 800 mil vínculos foram firmados apenas no período entre julho a outubro (+2,9%) deste ano. Com isso, o setor atingiu a marca de 28,7 milhões de beneficiários.

O resultado foi puxado, principalmente, pelo aumento de contratações de planos individuais e familiares (+15,4%), bem como de coletivos empresariais (+9,9%). Outro segmento que ajudou a impulsionar o desempenho dos planos exclusivamente odontológicos, foi o de beneficiários com 59 anos ou mais (+11%). Além disso, as faixas etárias de 19 a 58 anos e até 18 anos registraram variações positivas de 9,8% e 8,7%, respectivamente.

Em um panorama nacional do período, as regiões Sul (+18,6%) e Norte (+13,3%) tiveram resultados acima da média nacional. No período entre outubro de 2020 e 2021, as maiores variações positivas foram registradas no Tocantins (67,8%), Santa Catarina (30,6%) e Piauí (29,6%). Já em números absolutos, todos os estados tiveram crescimento de beneficiários no período analisado, sendo o menor em Roraima e o maior em São Paulo, com acréscimo de 326 e 896.464 beneficiários, respectivamente.

Para mais detalhes, acesse a NAB 64 aqui.

NAB

Planos médico-hospitalares registram saldo positivo por 12 meses consecutivos

Dezembro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Os dados da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 64, do IESS, indicam que o número de adesões aos planos médico-hospitalares superou a taxa de cancelamentos, registrando saldo positivo por 12 meses consecutivos entre outubro de 2020 e 2021. Esse resultado representa um avanço de 2,9% no período – ou 1.351.104 de novos vínculos. Com isso, o total de beneficiários ultrapassou a marca de 48,6 milhões em outubro deste ano.

De acordo com a NAB 64, a contratação de planos coletivos empresariais foi um dos principais responsáveis pelo bom desempenho do segmento. No período, houve acréscimo de 1.441.792 de vínculos dessa natureza (+ 4,5%). Já no recorte por faixa etária, a maior contribuição para o resultado foi dos beneficiários de 19 a 58 anos (3,5%).

Entre outubro de 2020 e 2021, os estados com as principais variações no número de beneficiários foram Rio Grande do Norte (+8,3%), Mato Grosso (+7,2%) e Santa Catarina (+6,4%). Em números absolutos, o maior aumento foi assinalado em São Paulo, com 512.981 novos beneficiários, enquanto a queda mais significativa ocorreu no Maranhão, cuja perda foi de 9.810 beneficiários no período.

A íntegra da NAB 64 está disponível aqui.

No intervalo entre outubro de 2020 e 2021, houve acréscimo de 1,3 milhão de vínculos nos planos médico-hospitalares. Entre os planos exclusivamente odontológicos, foram registrados 2,5 milhões de novos beneficiários no mesmo período. Confira também os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Para mais detalhes, baixe agora a NAB 64.

 

NAB

Coletivos empresariais puxam alta dos planos de saúde

Novembro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

A grande maioria dos planos médico-hospitalares no Brasil são estabelecidos por contratações coletivas. Os dados da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 63, do IESS, mostram que, em setembro deste ano, 39,6 milhões de pessoas contavam com planos coletivos, valor que representa 81,6% do total de beneficiários. Entre setembro de 2020 e 2021, o número de planos coletivos cresceu 4,4%, puxado especialmente pelos planos empresariais (5,5%) – que tiveram acréscimo de mais de 1,6 milhão de vínculos. O resultado demonstra que as empresas seguem investindo nesse benefício aos seus colaboradores.

Por outro lado, nesse mesmo período, o número de planos individuais ou familiares teve retração de 1,2%, com a perda de 105 mil vínculos. Apesar dessa variação negativa, o total de planos médico-hospitalares cresceu 3,3% no intervalo de 12 meses encerrados em setembro deste ano. Com o acréscimo, o total de beneficiários de planos saúde no Brasil chegou à marca de 48,6 milhões.

Na análise por idade, o principal impulso no resultado foi entre os beneficiários de 19 a 58 anos (4%). Esse grupo representou acréscimo de 1,1 milhão de usuários na saúde suplementar. As faixas etárias de até 18 anos e 59 anos ou mais tiveram aumentos de 2% e 2,6%, respectivamente. Para acessar os dados completos da NAB 63, clique aqui.

Entre setembro de 2020 e 2021, houve alta de 3,3% no número de beneficiários de planos médico-hospitalares, valor que representa acréscimo de 1,5 milhão de vínculos. Cabe destacar também que, a partir desta edição, a Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) incluirá dados do novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Isso permitirá acompanhar, além do número de brasileiros vinculados a planos de saúde de assistência médica e odontológica, o mercado de trabalho formal. Baixe agora a NAB nº 63.

Planos médico-hospitalares tem alta de 3,3% em 12 meses

Outubro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

A adesão aos planos de saúde médico-hospitalares teve saldo positivo pelo décimo segundo mês consecutivo – no período encerrado em agosto deste ano. O resultado representa aumento de mais de 1,5 milhão de beneficiários, totalizando a marca de 48,4 milhões de usuários. O avanço no intervalo analisado representa alta de 3,3%. Os dados foram divulgados pela Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 62, do IESS.

Em agosto de 2021, do total de vínculos de planos médico-hospitalares, 39,5 milhões (81,5%) eram contratações coletivas, principalmente no modelo coletivo empresarial. O resultado demonstra que, cada vez mais, empresas oferecem a cobertura de planos de saúde para seus colaboradores e seus familiares. Além de cuidar do bem-estar dos profissionais, esse tipo de benefício auxilia a reter talentos nas organizações.

No recorte regional, as maiores variações positivas foram assinaladas no Norte (5,3%) e Nordeste (3,6%) nesse intervalo. As maiores taxas ocorreram no Rio Grande do Norte (9,5%) e Amazonas (8,9%) – valores acima da média nacional (3,3%). Já em números absolutos, a região Sudeste teve o principal acréscimo: 927.995 beneficiários, sendo 519.019 novos vínculos somente no estado de São Paulo. A maior redução ocorreu no Maranhão, com a perda de 11.365 beneficiários entre agosto de 2020 e agosto de 2021.

Cabe destacar também que o aumento das contratações de planos de saúde aconteceu em todas as faixas etárias, principalmente no grupo de beneficiários entre 18 e 58 anos (4%); seguido por 59 anos ou mais (2,5%) e até 18 anos (2%).

Acesse aqui a íntegra da NAB 62.