Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Planos odontológicos batem recorde de beneficiários

Outubro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Em agosto de 2021, o número de beneficiários de planos exclusivamente odontológicos atingiu a marca de 28,3 milhões – o melhor resultado desde o início da série histórica em 2000. O número foi alcançado após o acréscimo de mais de 2,5 milhões de vínculos em 12 meses, representando alta de 9,8% no período. Os dados são da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 62, do IESS.

No intervalo analisado, os principais avanços por tipo de contratação foram dos planos individuais e familiares (17,5%) e dos planos coletivos empresariais (9,5%). O resultado de agosto deste ano mostra também que do total de beneficiários de planos exclusivamente odontológicos, 82,5% possuíam um plano coletivo. A proporção é similar ao cenário dos planos médico-hospitalares, conforme o IESS mostrou em outra oportunidade.

Houve crescimento de vínculos em todas as faixas etárias, com destaque para beneficiários com 59 anos ou mais (11,9%). Na análise por regiões do país, Sul (17,9%) e Norte (13,1%) tiveram os melhores desempenhos puxados pelas altas em Tocantins (39,4%) e Santa Catarina (32,7%). Já em números absolutos, o maior aumento foi em São Paulo, com 963.059 novos vínculos. A maior queda ocorreu em Roraima, cuja perda foi de 797 beneficiários entre agosto de 2020 e agosto de 2021.

O bom desempenho do setor também pode ser explicado pelo décimo segundo mês consecutivo em que o número de adesões superou a quantia de cancelamentos. Em agosto, por exemplo, o setor teve a melhor marca de 2021 com saldo positivo de 325.850 beneficiários.
Acesse aqui a íntegra da NAB 62.
 

O número de beneficiários de planos de saúde atinge a maior marca desde maio de 2016, ultrapassando 48,4 milhões de vínculos. No intervalo de 12 meses encerrados em julho de 2021, mais de 1,6 milhões de novos contratos foram firmados, valor que representa alta de 3,4%. Os planos odontológicos superaram o recorde histórico. São mais de 27,9 milhões de beneficiários.

NAB

Quase meio milhão de paulistas aderem a planos de saúde em um ano

Maio 2022
Salvar aos favoritos Compartilhar

Análise do IESS aponta que aumento dos beneficiários nos planos coletivos empresariais acompanha a alta no número de trabalhadores formais


Nos últimos dois anos, o número de beneficiários inseridos em planos médico-hospitalares acumula registros consecutivos de alta no País e, em fevereiro deste ano, atingiu a marca de 49 milhões de vínculos. O maior crescimento em números absolutos, no entanto, entre fevereiro de 2021 e fevereiro deste ano, ocorreu no estado de São Paulo, que teve um acréscimo de 472 mil beneficiários (alta de 2,7%), aponta Análise Especial da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 68, desenvolvida pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS).

São Paulo possui relevância e números expressivos em relação a outras regiões. Em fevereiro do ano passado, eram 17,2 milhões de vínculos e saltou para 17,7 milhões no mesmo mês de 2022, sendo que a capital paulista foi a que mais teve ganho em número de beneficiários (102 mil) e crescimento em todas as faixas etárias. A taxa de cobertura dos planos no estado é a maior do País (38%).

O estudo mostra que o tipo de contratação que mais cresceu no período foi o coletivo empresarial (4,9%), com acréscimo de 597 mil vínculos no estado – eram 12,2 milhões em fevereiro de 2021, e alcançou 12,8 milhões em fevereiro deste ano – representando a maioria do total de beneficiários (72,3%). A modalidade tende a acompanhar o número de trabalhadores formais com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que também teve registro de alta, em São Paulo, com saldo de 756 mil empregos formais no período de 12 meses.

Para José Cechin, superintendente executivo do IESS, o estoque acumulado de empregos formais, que registrou crescimento em todos os setores, justifica o aumento em adesões em planos coletivos empresariais, especialmente no Estado de São Paulo. “Enquanto houver saldo positivo de empregos formais, a tendência será de crescimento em número de beneficiários nesse tipo de plano. Observamos também que apesar de registro de queda no saldo de empregos em faixas etárias mais avançadas, houve aumento no número beneficiários, o que demostra o grau de preocupação com a saúde, especialmente na idade avançada”, observou.

Clique aqui para ver Análise Especial da NAB 68 na íntegra.

Sobre o IESS

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas. O Instituto busca preparar o Brasil para enfrentar os desafios do financiamento à saúde, como também para aproveitar as imensas oportunidades e avanços no setor em benefício de todos que colaboram com a promoção da saúde e de todos os cidadãos. O IESS é uma referência nacional em estudos de saúde suplementar pela excelência técnica e independência, pela produção de estatísticas, propostas de políticas e a promoção de debates que levem à sustentabilidade da saúde suplementar.

Mais informações

LetraCerta Inteligência em Comunicação

Emerson Oliveira – [email protected]

(11) 98231-8002

Vinícius Silva – [email protected]

(11) 94753-8787

Jander Ramon – [email protected]

(11) 3812-6956

Os planos médico-hospitalares atingiram, em março, a marca de 49.074.356 vínculos no País. A variação nos 12 meses anteriores foi positiva (2,7%), marca que representa acréscimo de quase 1,2 milhão de beneficiários. Entre os planos odontológicos, no mesmo período, houve aumento de mais de 2,2 milhões de beneficiários (+8,3%). Confira também os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Veja a íntegra da NAB 69.

NAB

Planos empresariais são a maioria entre os 49 milhões de beneficiários no País

Maio 2022
Salvar aos favoritos Compartilhar

Em fevereiro, o número de beneficiários de planos médico-hospitalares atingiu a marca de 49 milhões, um recorde no País. Deste total, 40,1 milhões (81,7%) possuíam um plano coletivo, sendo que desses, a grande maioria (84,3%) eram do tipo empresarial, e 15,7% do tipo coletivo por adesão. Os dados constam na Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 68, desenvolvida pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS).

De acordo com o estudo, os planos coletivos empresais foram os que mais cresceram em volume de contratações, em 12 meses, com acréscimo de 1,5 milhão de vínculos – eram 32,3 milhões de beneficiários, em fevereiro de 2021, e saltou para 33,8 milhões em fevereiro deste ano, uma alta de 4,8%. 

Vale destacar que a modalidade em questão representa a maioria do total de beneficiários no País (69%) e tende a acompanhar o número de trabalhadores formais com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregado (Caged). Isso porque entre fevereiro de 2021 e 2022, o estoque de empregos formais foi de 38,6 milhões para 41,2 milhões, respectivamente, um saldo de 2,6 milhões (crescimento de 6,7%). O número de beneficiários nesse tipo de plano, no entanto, foi de 32,3 milhões para 33,8 milhões (crescimento de 4,8%) no período.

Para mais detalhes sobre o relatório, clique aqui.
 

NAB

Número de beneficiários de planos de saúde ultrapassa 49 milhões no País

Abril 2022
Salvar aos favoritos Compartilhar

As aquisições a planos médico-hospitalares têm crescido de forma consecutiva, nos últimos dois anos. Em fevereiro de 2022, o número de beneficiários ultrapassou a marca de 49 milhões, um recorde no País. Comparado com o mesmo mês do ano anterior, quando havia 47,5 milhões, o volume representa um acréscimo de 1,4 milhão de vínculos - alta de 3,1% no período. Os dados constam na Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 68, desenvolvida pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS).

O estudo mostra que o tipo de contratação que mais cresceu, em 12 meses, é o coletivo empresarial com acréscimo de 1,5 milhão de vínculos – eram 32,2 milhões de beneficiários, em fevereiro de 2021, e saltou para 33,8 milhões em fevereiro deste ano, uma alta de 4,8%.

A modalidade em questão representa a maioria do total de beneficiários no País (69%) e tende a acompanhar o número de trabalhadores formais com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregado (Caged). Isso porque entre fevereiro de 2020 e 2021, o estoque de empregos formais foi de 38,6 milhões para 41,2 milhões, respectivamente, um saldo de 2,6 milhões (crescimento de 6,7%). O número de beneficiários nesse tipo de plano, no entanto, foi de 32,3 milhões para 33,8 milhões (crescimento de 4,8%) no período.

A NAB mostra, ainda, que em números absolutos, o maior crescimento em novas adesões a planos médico-hospitalares no País, ocorreu no estado de São Paulo. Houve um acréscimo de 472 mil beneficiários no período de 12 meses analisados – eram 17,2 milhões de vínculos, em fevereiro de 2021, e passou para 17,7, em fevereiro deste ano.

Para mais detalhes sobre o relatório, clique aqui.

Em fevereiro de 2022, o número de brasileiros com planos médico-hospitalares atingiu a marca de 49.049.467 beneficiários. A variação nos 12 meses anteriores foi de 3,1%, marca que representa acréscimo de quase 1,5 milhão de vínculos. Já entre os planos odontológicos, no mesmo período, houve aumento de mais de 2,3 milhões de beneficiários (+8,6%). Confira também os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Veja a íntegra da NAB 68.

NAB

Em alta, planos com segmentação ambulatorial e hospitalar registram recorde com 43,8 milhões de vínculos

Abril 2022
Salvar aos favoritos Compartilhar

Análise do IESS aponta que modalidade é a que mais cresceu em número de beneficiários desde setembro de 2017


Dos 48,9 milhões usuários de planos de assistência médico-hospitalares no País, a maior parte, 43,8 milhões (89%), integrava, em janeiro de 2022, planos com segmentação ambulatorial e hospitalar, sendo este um recorde em número de beneficiários. Os dados da Análise Especial da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 67, desenvolvida pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), mostram que, de modo geral, houve aumento de 1,5 milhão de vínculos, um acréscimo de 3,1%, quando comparado com o mesmo mês do ano anterior.

O estudo mostra que a segmentação em questão é a que mais cresce desde setembro de 2017, quando havia 40,9 milhões de beneficiários. A pandemia da Covid-19 chegou encerrar o período de altas consecutivas, que seguiram até março de 2020 registrando alta de 1,7%. Posteriormente, no entanto, entre junho de 2020 e janeiro deste ano, houve aceleração no crescimento de vínculos nos planos ambulatorial e hospitalar, com saldo positivo de 6,6% no número de beneficiários alcançando o patamar histórico atual.

A NAB 67 mostra também que os planos ambulatoriais seguem com tendência de crescimento. Em março de 2017, o número de beneficiários era de 1,4 milhão. A segmentação, porém, teve acréscimo de 100 mil vínculos, alcançando a marca de 1,5 milhão em janeiro de 2022.

Aumento de preocupação

Para José Cechin, superintende executivo do IESS, o agravamento do número de casos de Covid-19 no País entre 2020 e 2021 pode ter aumentado a preocupação das pessoas que não tinham ou perderam o plano de saúde ao aderirem, agora, o benefício. “A posse de um plano de saúde, especialmente em período de pandemia, é considerada como muito importante pelas pessoas, pela sensação de segurança que o plano oferece a seus portadores. Entendemos que a recuperação do número de beneficiários, principalmente das segmentações ambulatorial e hospitalar, vem dessa sensação” comenta.

Clique aqui para ver a NAB 67 na íntegra.

Sobre o IESS

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas. O Instituto busca preparar o Brasil para enfrentar os desafios do financiamento à saúde, como também para aproveitar as imensas oportunidades e avanços no setor em benefício de todos que colaboram com a promoção da saúde e de todos os cidadãos. O IESS é uma referência nacional em estudos de saúde suplementar pela excelência técnica e independência, pela produção de estatísticas, propostas de políticas e a promoção de debates que levem à sustentabilidade da saúde suplementar.

Mais informações

LetraCerta Inteligência em Comunicação

Vinícius Silva – [email protected]

(11) 94753-8787

Emerson Oliveira – [email protected]

(11) 98231-8002

Jander Ramon – [email protected]

(11) 3812-6956

NAB

Saldo positivo de empregos formais no Norte do País impulsiona contratação de planos de saúde na região

Abril 2022
Salvar aos favoritos Compartilhar

Assistência médico-hospitalar por contratação coletiva empresarial alcançou 33,7 milhões de beneficiários em dezembro de 2021


O saldo positivo de empregos formais no Brasil em 2021 ajudou a puxar o número recorde (33,7 milhões) de planos médico-hospitalares coletivos empresariais, de acordo com a Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) nº 66, do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). Dados do Caged, disponibilizados pela NAB 66, mostram que, em 2021, na região Norte do País, o saldo de empregos formais foi de 8,62% – a maior variação relativa – e acima da média nacional (7,08%). O resultado foi impulsionado pelo saldo positivo nos estados do Acre (9,81%), Pará (9,42%) e Roraima (8,77%). Nas demais regiões do Brasil, as variações foram: Centro-Oeste (8,07%), Nordeste (7,58%), Sudeste (6,80%) e Sul (6,61%).

Entre dezembro de 2020 e dezembro de 2021, o Brasil teve saldo positivo de 2,7 milhões de empregos formais. Já na análise do mês de dezembro do ano passado, o número de vínculos de planos coletivos empresariais (33,7 milhões) representava cerca de 82% do estoque de empregos formais (41,3 milhões). Isso confirma a tendência de que a quantidade de beneficiários de vínculos coletivos empresariais acompanha o número de trabalhadores formais. O resultado em dezembro de 2021 também representa que quase 7 em cada 10 beneficiários (69%) tem um plano médico-hospitalar coletivo empresarial – marca que corresponde ao maior número desde o início da série histórica, em 2000, disponibilizada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Os setores de serviços, comércio e indústria, historicamente, são os que mais ofertam planos de saúde aos colaboradores. Esses segmentos, inclusive, foram os que apresentaram maior saldo de empregos no acumulado entre dezembro de 2020 e dezembro de 2021: 1,2 milhão, 644 mil e 475 mil, respectivamente, seguido das áreas da construção (245 mil) e agropecuária (141 mil).

“Há um aumento gradual da confiança neste momento de recuperação do emprego e maior confiança também por parte dos empregadores. A variação positiva no saldo de empregos formais em 2021, indica uma possibilidade de crescimento no número de beneficiários de planos médico-hospitalares nos próximos meses, em especial dos contratos coletivos empresariais”, afirma José Cechin, superintendente executivo do IESS.

Veja a íntegra da NAB 66 aqui.

 

Sobre o IESS

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas. O Instituto busca preparar o Brasil para enfrentar os desafios do financiamento à saúde, como também para aproveitar as imensas oportunidades e avanços no setor em benefício de todos que colaboram com a promoção da saúde e de todos os cidadãos. O IESS é uma referência nacional em estudos de saúde suplementar pela excelência técnica e independência, pela produção de estatísticas, propostas de políticas e a promoção de debates que levem à sustentabilidade da saúde suplementar.

Confira os destaques da NAB 66

  • Saldo de empregos formais: região Norte registrou variação relativa de 8,62% em 2021 – acima da média nacional (7,08%);
  • O resultado do emprego foi impulsionado pelo saldo positivo nos Estados do Acre (9,81%), Pará (9,42%) e Roraima (8,77%);
  • NAB 66: 33,7 milhões de beneficiários: recorde de vínculos de planos médico-hospitalares coletivos empresariais em dezembro de 2021;
  • NAB 66: 7 em cada 10 brasileiros contam com um plano coletivo empresarial de assistência médico-hospitalar.

Mais informações

LetraCerta Inteligência em Comunicação

Vinícius Silva – [email protected]

(11) 94753-8787

Emerson Oliveira – [email protected]

(11) 98231-8002

Thiago Rufino – [email protected]

(11) 98770-0893

Jander Ramon – [email protected]

(11) 3812-6956

Dos 48,9 milhões usuários de planos de assistência médico-hospitalares no País, a maior parte, 43,8 milhões (89%), integrava, em janeiro de 2022, planos com segmentação ambulatorial e hospitalar, sendo este um recorde em número de beneficiários. Confira também os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Veja a íntegra da NAB 67.