Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

IESSCast debate os aspectos tributários da saúde suplementar

Julho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

O 4º episódio do IESSCast, já disponível nesta sexta-feira (30), discute como a tributação dos serviços em saúde suplementar tem impactado na gestão de empresas do setor nos últimos 20 anos. A conversa buscou explicar as prioridades e os critérios para a concessão de benefícios tributários e subsídios financeiros e também como se dá a exata regulação do setor.

Participaram da conversa José Roberto Rodrigues Afonso, economista, doutor em economia pela UNICAMP e pós-doutorando da Universidade de Lisboa, e Kleber Pacheco de Castro, também economista, consultor em finanças públicas e doutor em economia pela UERJ. Juntos, eles assinam o capítulo “Aspectos Tributários da Saúde Suplementar no Brasil”, que pertence ao livro “Saúde Suplementar: 20 anos de transformações e desafios em um setor de evolução contínua” que deu origem à série em áudio. 

Outros assuntos que estiveram em pauta foram os melhores mecanismos de transparência e controle, as metodologias de estimativa do gasto tributário em saúde e a expansão da arrecadação no setor. A mediação foi do superintendente executivo do IESS, José Cechin.

O IESSCast está disponível nas principais plataformas de streaming de áudio, como o Spotify, Deezer, Google Podcasts, Apple Podcasts e Castbox. O conteúdo também pode ser acessado, a qualquer momento, pelo canal do IESS no YouTube em formato de websérie. Os novos episódios vão ao ar sempre às terças e sextas-feiras.

O livro “Saúde Suplementar: 20 anos de transformações e desafios em um setor de evolução contínua” é uma obra organizada pelo IESS e assinada por 24 autores convidados. Para baixar a publicação, clique AQUI.

X Prêmio IESS: inscrições prorrogadas

Setembro 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

Estão prorrogadas as inscrições para o “X Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar”. Os interessados em participar da mais importante premiação de trabalhos acadêmicos em saúde suplementar terão até o dia 15 de outubro para se inscrever. Chegando à histórica décima edição, a iniciativa conta com mais de 50 trabalhos laureados e algumas centenas de estudos avaliados. Em função da pandemia do novo Coronavírus, o evento que conta com palestras exclusivas, cerimônia de entrega dos prêmios e exibição de pôsteres de trabalhos deste ano será totalmente online.

Esse é um ano fundamental para a premiação e para o setor de saúde suplementar, já que enfrentamos a maior crise sanitária do século, o que torna o momento pertinente para uma análise retrospectiva de como o setor se comportou nesse delicado cenário, dos avanços e conquistas, mas, principalmente, dos desafios que teremos que encarar para assegurar a sustentabilidade econômico-financeira e, mais importante, a qualidade assistencial no futuro.

Na premiação principal podem ser inscritos artigos científicos e trabalhos de conclusão de curso de pós-graduação (especialização, MBA, mestrado ou doutorado) nas áreas de Economia, Direito e Promoção de Saúde, Qualidade de Vida e Gestão em Saúde. Sucesso nos últimos anos, o Prêmio volta a repetir a iniciativa de exibição de pôsteres de trabalhos.

Neste caso, além dos trabalhos de pós-graduação (especialização, MBA, mestrado e doutorado), também podem ser inscritos trabalhos de graduação (nível universitário). Os pôsteres ficarão expostos online nos canais da entidade e passa a contar com ISSN (International Standard Serial Number) para inclusão no currículo, especialmente na plataforma Lattes, utilizada por Institutos, Universidade e Centros de Pesquisa para avaliar alunos e professores.

A partir deste ano, a premiação também irá recompensar financeiramente os orientadores dos trabalhos vencedores com R$ 3 mil. Além disso, os valores dos prêmios das três categorias foram reajustados. Cada um dos primeiros colocados receberá R$ 15 mil este ano e os segundos colocados receberão R$ 10 mil.

As inscrições para o Prêmio IESS e para exibição de pôster são gratuitas e vão até 15 de outubro. Cada candidato pode inscrever apenas um trabalho na premiação. O espaço para pôsteres não possui limite para inscrição.

Veja o regulamento completo em www.iess.org.br/premio.

Economia da saúde é fundamental para o futuro do setor

Setembro 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

Na última quinta-feira, reunimos especialistas e premiados na categoria Economia do Prêmio IESS de Produção Científica no webinar “Propostas do Prêmio IESS para assegurar a sustentabilidade do setor em tempos de crise” com transmissão ao vivo no YouTube e em nossas redes sociais.

Com mediação de José Cechin, superintendente executivo, o debate contou com a participação de Antonio Carlos Campino, professor da FEA-USP e avaliador da categoria Economia do Prêmio IESS; Marília Raulino Jácome, vencedora em 2018, Head da G-Sin (Startup de Gestão de Riscos na Saúde) e doutoranda em Ciências Contábeis (UFPB); e Luís Carlos Moriconi, vencedor em 2017, gerente atuarial na Unimed Fesp e mestre em economia (UFRGS).

José Cechin reiterou o compromisso da instituição com a criação de ferramentas tanto nesse momento de crise sanitária e social quanto para o desenvolvimento do setor de saúde nacional. “O Prêmio IESS é uma das provas desse esforço e do nosso anseio de mobilizar a nossa capacidade de agregar conhecimento e estudos técnicos e convergir a produção acadêmica com a prática do mercado ao longo desses dez anos da premiação”, comentou.

A importância de se gerar informação técnica e fomentar a pesquisa foi lembrada por Antonio Campino como fundamental para garantir a perenidade dos setores público e privado. “O mundo todo passa por um fenômeno de transição demográfica e consequente envelhecimento populacional. Claro que é um avanço da sociedade e da medicina, mas isso traz um aumento das despesas médicas para todos os envolvidos nessa cadeia”, aponta o professor. “Não há conflito entre os setores público e privado. A economia da saúde é importante por se debruçar em problemas reais da sociedade com implicações em diferentes âmbitos. É necessário que o país e os diversos segmentos se planejem para os impactos dessa mudança”, completou.

Além das implicações econômicas do atual cenário e da necessidade de mudança e atualização seja da regulação do setor ou de práticas dos envolvidos, o encontro reforçou a importância de se fomentar os estudos que envolvam o setor de saúde suplementar. “É fundamental que a academia enxergue o potencial da pesquisa para esse setor. Em termos de economia, é um segmento que agrupa 25% dos brasileiros e movimenta um grande volume investimentos, despesas e receitas”, analisou Marília Raulino.

Já Moriconi ressaltou que o setor precisa se apossar das diferentes ferramentas para ser mais forte, efetivo e resolutivo. “A economia da saúde deve ser o centro de tudo. Por meio dela é que iremos ampliar a qualidade em termos de recursos humanos e de produtividade, garantindo equilíbrio, satisfação e bem-estar de todos, sejam beneficiários, operadoras e prestadores de serviços”, concluiu.

A íntegra do webinar pode ser vista no Portal IESS  e no YouTube. A série de encontros continuará apresentando importantes questões para o desenvolvimento do setor de saúde suplementar nacional com transmissão ao vivo nas redes sociais do IESS e no canal do YouTube.

Se você também tem um trabalho de conclusão de curso de pós-graduação (especialização, MBA, mestrado ou doutorado), com foco em saúde suplementar, nas áreas de Economia, Direito e Promoção de Saúde e Qualidade de Vida, capaz de ajudar no aperfeiçoamento do setor, inscreva-se, gratuitamente, até 15 de setembro. Veja o regulamento completo.

Webinar IESS – Hoje iremos abordar a categoria Economia do Prêmio IESS

Setembro 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

Continuamos nossa série de encontros com o webinar “Propostas do Prêmio IESS para assegurar a sustentabilidade do setor em tempos de crise” que irá apresentar e debater importantes aspectos para desenvolvimento do setor de saúde suplementar. O webinar acontece logo mais, a partir das 16h. Veja como participar aqui

Com medição de José Cechin, superintendente executivo do IESS, contaremos com a participação de Antonio Carlos Campino, professor da FEA-USP e avaliador da categoria Economia do Prêmio IESS; Marília Raulino Jácome, vencedora em 2018, Head da G-Sin (Startup de Gestão de Riscos na Saúde) e doutoranda em Ciências Contábeis (UFPB); e Luís Carlos Moriconi, vencedor em 2017, gerente atuarial na Unimed Fesp, atuário e mestre em economia (UFRGS).

Marília foi premiada com o trabalho “A regulação como propulsora de práticas de controle interno na saúde suplementar”, desenvolvido na Universidade Federal da Paraíba (UFP). Ela nos concedeu uma entrevista publicada aqui.  Já Moriconi, conquistou o 1º lugar no VII Prêmio IESS com a pesquisa “Assimetria de informação a partir da regulação do mercado de saúde suplementar no Brasil: teoria e evidências”. O pesquisador também conversou com a gente nesta publicação.

Ainda dá tempo de se inscrever. Já se inscreveu? Então participe com perguntas diretamente em nosso WhatsApp (11) 93352-3355. Nos vemos a partir das 16h. Você pode acompanhar pelo vídeo abaixo ou diretamente em nosso canal do YouTube.

Se você também tem um trabalho de conclusão de curso de pós-graduação (especialização, MBA, mestrado ou doutorado), com foco em saúde suplementar, nas áreas de Economia, Direito e Promoção de Saúde e Qualidade de Vida, capaz de ajudar no aperfeiçoamento do setor, inscreva-se, gratuitamente, até 15 de setembro. Veja o regulamento completo.

Webinar IESS – Categoria Economia do Prêmio IESS auxilia no desenvolvimento do setor

Setembro 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

Como atravessar esse momento de crise sanitária? Como lidar com as questões relacionadas à economia do segmento de saúde neste momento e após a pandemia pelo novo Coronavírus? Como a regulação pode ajudar no desenvolvimento do setor? O Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar converge a produção acadêmica com o conhecimento do mercado para aprimorar o segmento e criar ferramentas para seu desenvolvimento.

Para falar dos diferentes aspectos da economia e sustentabilidade deste setor, reunimos especialistas renomados e premiados em nosso próximo webinar “Propostas do Prêmio IESS para assegurar a sustentabilidade do setor em tempos de crise” que acontece em 10 de setembro, às 16h.

Com medição de José Cechin, superintendente executivo do IESS, contaremos com a participação de Antonio Carlos Campino, professor da FEA-USP e avaliador da categoria Economia do Prêmio IESS; Marília Raulino Jácome, vencedora em 2018, Head da G-Sin (Startup de Gestão de Riscos na Saúde) e doutoranda em Ciências Contábeis (UFPB); e Luís Carlos Moriconi, vencedor em 2017, gerente atuarial na Unimed Fesp, atuário e mestre em economia (UFRGS).

Veja agora como participar - www.iess.org.br/eventos

Você também já pode acessar o link da transmissão abaixo e adicionar o lembrete para não correr o risco de perder. Acesse!

Ah, se você tem interesse em figurar nesta seleta lista de laureados na premiação, não perca tempo, veja agora como participar do X Prêmio IESS. Podem ser inscritos trabalhos de conclusão de curso de pós-graduação (especialização, MBA, mestrado ou doutorado), ou artigo científico com foco em saúde suplementar, nas áreas de Economia, Direito e Promoção de Saúde e Qualidade de Vida, inscreva-se gratuitamente até 15 de setembro. Veja o regulamento completo

A premiação também conta com espaço para a exibição de pôsteres de trabalhos, importante painel para apresentar a sua pesquisa. Veja os resumos dos trabalhos apresentados aqui.

Webinar IESS – Sustentabilidade da saúde suplementar

Setembro 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

Falar de economia e sustentabilidade do setor de saúde suplementar nunca foi tão fundamental com nesse momento da maior crise sanitária do século. Esse é um dos aspectos que mais abordamos em nossas publicações e conta com papel de destaque no Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar. 

E os temas da categoria Economia abordam desde questões como o envelhecimento populacional até propostas para avanço na regulação do setor, passando por novos produtos e modalidades no segmento ou ainda estudos de casos operadoras de planos de saúde. 

Olhando o histórico de trabalhos vencedores nessa categoria é possível acompanhar como o setor tem avançado no aprofundamento do debate sobre o tema e das soluções para garantir sua perenidade. 

 E é exatamente esse o tema do nosso próximo webinar “Propostas do Prêmio IESS para assegurar a sustentabilidade do setor em tempos de crise” que acontece em 10 de setembro, às 16h. 

Veja aqui como participar.

 Apresentação e mediação

  • José Cechin, superintendente executivo do IESS

Convidados

  • Antonio Campino, professor titular da FEA-USP e avaliador da Categoria Economia do Prêmio IESS
  • Marília Augusta Raulino Jácome, vencedora em 2018, Head da G-Sin (Startup de Gestão de Riscos na Saúde) e Doutoranda em Ciências Contábeis (UFPB)
  • Luís Carlos Moriconi de Melo, vencedor em 2017, gerente atuarial na Unimed Fesp, atuário e mestre em economia (UFRGS)

ANS autoriza retomada de cirurgias eletivas

Junho 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

Nos últimos dias, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) autorizou a retomada de realizações de cirurgias e outros procedimentos eletivos – aqueles que não são de urgência e emergência. A nova determinação revoga a anterior que os suspendia desde 25 de março em função do enfrentamento da pandemia de Covid-19.

Estes procedimentos devem ser realizados conforme indicação do profissional de saúde. Cabe, no entanto, a avaliação por parte dos planos de saúde. Em caso de impossibilidade, eles deverão justificá-la com base na apresentação de documentos que demonstrem a situação epidemiológica das instituições, medidas de restrição e disponibilidade de leitos.

Segundo a ANS, diversas sociedades médicas e representações de prestadores de serviços “asseguram que os estabelecimentos de saúde estão organizados e têm condições adequadas de atender à demanda por procedimentos e cirurgias eletivas, sem prejudicar o atendimento aos casos de Covid-19”.

Breno Monteiro, presidente da CNSaúde, já havia apontado que a suspensão dos prazos não era medida eficaz no combate ao Coronavírus. “Cirurgias e tratamentos que precisavam ser feitos deixaram de ser realizados. Naturalmente, nos Estados que perderam o controle da contaminação, os leitos foram todos ocupados, sem precisar de normativos. A suspensão só levou ao atraso nos tratamentos e dificuldade financeiras pelas instituições, que, com taxas de ocupação reduzidas, têm enfrentado dificuldade”, alertou.

A ANS ressalta que o Brasil continua com o alerta sanitário causado pelo novo Coronavírus e que todos os cuidados para evitar a contaminação devem ser seguidos por todos. “Isso inclui as medidas de distanciamento social, uso de equipamentos de proteção e manutenção das normas de higiene preconizadas pelas autoridades de saúde e gestores locais”, disse em nota.

Qual a importância dos profissionais de enfermagem?

Abril 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

Para comemorar o Dia Mundial da Saúde 2020, como comentamos em nosso canal no LinkedIn, a Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou, na semana passada (07/04), a primeira edição da pesquisa “State of the world’s nursing” (Estado da enfermagem mundial, em tradução livre).

O documento destaca a importância desta categoria que responde, segundo dados da própria OMS, pela maior parte dos profissionais de saúde no mundo, além de constituir a base para o relacionamento interpessoal entre diferentes especialistas em uma equipe. O estudo destaca que enfermeiros, técnicos e auxiliares tem um rol de responsabilidades mais amplo do que a maior parte dos pacientes costuma perceber, exercendo papéis importantes como professores, pesquisadores, educadores e também no desenvolvimento de protocolos de atendimento e outras políticas essenciais tanto para os centros de atenção em saúde quanto para o setor como um todo.

No momento atual, é  necessário salientar que estes profissionais constituem a linha de frente no combate à pandemia do Coronavírus, estando em contato direto e frequente com pacientes e seus familiares.

Além de analisar a relevância e o campo de atuação da enfermagem como um todo, o estudo é importante por explorar os grandes desafios que precisam ser enfrentados globalmente bem como propor ações para mudar este cenário.

Entre as melhorias que precisam ser alcançadas, o trabalho destaca:

  • Ampliar a base de dados para análise, monitoramento e tomada de decisões;
  • Distribuição geográfica dos melhores profissionais fora dos mercados em que foram treinados;
  • Desenvolvimento de programas de educação continuada;
  • Direitos de gênero; e,
  • Regulação como um todo.

No momento, o conteúdo está disponível apenas em inglês. Mas deve ser disponibilizado em outros idiomas a partir de maio. Vale a leitura.

A lógica da regulação

Abril 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

A regulamentação relacionada ao atendimento das reclamações dos consumidores, fiscalizada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), tem sido alterada constantemente ao longo do tempo. Para quem “respira” saúde suplementar e está envolvido em seus processos e normatizações, estas mudanças podem passar simplesmente como aperfeiçoamentos e, claro, elas realmente são melhorias.

Mas qual a lógica que guia o mercado de saúde suplementar?

O estudo “Exame de lógicas institucionais sujeitas a mudanças frequentes: a regulação da fiscalização da saúde suplementar”, que rendeu o segundo lugar da categoria Direito do IX Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar  a José Estevam Lopes Cortez da Silva Freitas, revela que não há uma lógica principal, mas três que se alteram constantemente: interesse público, defesa do consumidor, livre mercado.

Confira a explicação do próprio autor:

Segundo Freitas, a competição das lógicas é bastante acirrada ao longo do tempo, influenciando a redefinição constante dos regulamentos fiscalizatórios. Contudo, por vezes, também pode haver pontos de sinergia e cooperação entre elas. Ocasiões em que as normas geradas tendem a ser mais equilibradas.

Considerando isso, você deve estar se perguntando: qual a lógica predominante atualmente?

Se você também tem um estudo capaz de tornar os processos da saúde suplementar mais claros ou colaborar para o aprimoramento do setor, não perca tempo. Inscreva-se gratuitamente para o X Prêmio IESS. Confira o regulamento.

Novos avanços da Telessaúde

Abril 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

No final de março, aqui no Blog, comentamos que o Conselho Federal de Medicina (CFM) enviou nota ao Ministério da Saúde aprovando a utilização de recursos de Telessaúde  em função do avanço da pandemia causada pelo Coronavírus.

Agora, foi a vez do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) se pronunciar sobre o assunto por meio da resolução número 634 da entidade, publicada no Diário Oficial da União (DOU). O documento autoriza e normatiza a teleconsulta entre enfermeiros e pacientes. A publicação destaca que os meios eletrônicos utilizados devem “resguardar, armazenar e preservar” a interação eletrônica entre as partes para constituir registro de atendimento ao paciente. Nesse sentido, também prevê a obrigatoriedade de:

  • Identificação do enfermeiro e da instituição;
  • Termo de consentimento do paciente;
  • Identificação e dados do paciente;
  • Registro da data e hora do início e de encerramento do atendimento;
  • Histórico do paciente;
  • Observação clínica;
  • Diagnóstico de enfermagem;
  • VIII - plano de cuidados; 
  • Avaliação de enfermagem e/ou encaminhamentos.

A medida, assim como a adotada pelo CFM, tem duração “pelo período que durar a pandemia provocada pelo novo Coronavírus”. Nós continuamos acompanhando o cenário e otimistas que a experiência irá demonstrar a relevância e os benefícios de regulamentar a Telessaúde de modo definitivo.