Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Vox Populi: Pesquisa revela nova tendência sobre exames de rotina

Setembro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

A pandemia decorrente do novo coronavírus trouxe mudanças significativas no comportamento dos beneficiários e no perfil de uso dos planos de saúde pelos brasileiros. As pessoas estão fazendo mais exames diagnósticos e menos consultas médicas , como mostra a pesquisa realizada pelo Vox Populi a pedido do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). 

Com as recomendações de, sempre que possível, permanecer em casa, ambientes como clínicas médicas, hospitais e laboratórios passaram a ser evitados – mesmo sendo considerados locais, absolutamente, essenciais em tempos de pandemia, já que as pessoas continuaram realizando tratamentos, adoecendo ou envolvendo-se em situações de emergência. 

Dessa forma, novas formas de monitoramento e acompanhamento de tratamentos passaram a ser mais explorados a fim de garantir a saúde e a segurança dos pacientes, como as consultas de forma remota, por videoconferência, depois do Conselho Federal de Medicina (CFM) ter liberado a telemedicina durante o período de combate à pandemia, inclusive para o encaminhamento de pacientes em isolamento. 

Assim, passamos a observar médicos solicitando exames on-line, gerando guias e receitas e pacientes saindo de casa apenas para realizar coletas. Depois, resultados sendo enviados por e-mail ou por aplicativos de mensagens instantâneas, como o Whatsapp ou Telegram. 

A mesma pesquisa mostrou que apenas 3% dos usuários de planos de saúde não conseguiram receber seus exames por e-mail quando perguntadas sobre as razões para não terem ficado satisfeitos com o atendimento de suas operadores quando contraíram a Covid-19. O mesmo percentual (3%) respondeu que o atendimento online foi a razão para ter ficado satisfeito com o serviço prestado pela operadora de saúde. 

Os dados mostram que, na medida do possível, a rotina de cuidados foi mantida com segurança a partir de novas metodologias implantadas para trazer alívio e segurança tanto para os beneficiários de planos de saúde quanto para os profissionais do setor.

Sobre a pesquisa Vox Populi/IESS:

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do País (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.
Para acessar a pesquisa na íntegra, clique AQUI.
 

Exame diagnóstico foi o serviço mais utilizado pelos beneficiários

Outubro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Uma das diversas mudanças causadas pela pandemia de Covid-19 entre os beneficiários de planos médico-hospitalares foi em relação aos principais serviços utilizados em 12 meses. A pesquisa Vox Populi, realizada neste ano a pedido do IESS, revelou que, em comparação ao estudo realizado em 2019, houve uma mudança nas primeiras colocações, sendo o exame diagnóstico o tipo de atendimento mais procurado.

Ao contrário das pesquisas anteriores, as consultas médicas sempre foram o serviço mais utilizado pelos beneficiários. Contudo, em 2021, houve queda de 86% para 71% nessa forma de assistência. Por outro lado, o número de exames diagnósticos cresceu de 78% para 88%. O resultado pode estar ligado ao medo da população em frequentar hospitais e consultórios em situações que não fossem emergenciais durante os meses de isolamento.

Além disso, o estudo mostrou que a taxa de internações hospitalares entre os beneficiários caiu de 17% para 11% no período. Outro serviço que apresentou redução foi o número de partos, com variação de 4% para 3% entre as pesquisas de 2019 e 2021.

O levantamento mostrou, inclusive, que 71% dos beneficiários utilizaram ao menos um dos serviços disponibilizados pelos planos de saúde, enquanto 29% não necessitou de nenhuma forma de atendimento.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários), com 20 anos ou mais, em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Acesse à íntegra da pesquisa.

Número de beneficiários de planos odontológicos cresce 10,1% em 12 meses

Setembro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Aumento foi puxado principalmente por novos contratos individuais e familiares

A contratação de plano de saúde exclusivamente odontológico registrou alta de 10,1% nos últimos 12 meses encerados em julho deste ano, atingindo 27,9 milhões de beneficiários. As informações são da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB), do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). O resultado foi impulsionado pela contratação de planos individuais ou familiares (19,2%), seguido por coletivo por adesão (9,9%) e empresarial (8,1%).

Por faixa etária, a maior alta foi entre beneficiários com 59 anos ou mais (13,9%). Entre pessoas de 19 a 58 anos e até 18 anos, as variações no período foram, respectivamente, 10% e 8,8%. Vale destacar que, nas regiões Norte e Sul do país, a contratação de planos exclusivamente odontológicos foi superior a 13% – valor acima da média nacional. O resultado aponta para a tendência registrada pela pesquisa Vox Populi, realizada a pedido do IESS em abril deste ano. O levantamento revelou que o plano odontológico é mais importante que o seguro de automóvel, viagens e eletrodomésticos novos, por exemplo, sejam beneficiários de plano de saúde ou não. Veja a íntegra aqui.

No intervalo, o saldo de contratações foi positivo todos os meses, sendo junho de 2021 o mês que registrou o maior número de adesões com pouco mais de 1,1 milhão de novos vínculos. Em números absolutos, o Estado de São Paulo apresentou o maior aumento com 1.161.850 de novos beneficiários. Já a maior queda foi registrada em Roraima, com a perda de 1.332 vínculos.

A NAB consolida os mais recentes números de beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares e exclusivamente odontológicos, divididos por estados, regiões, faixas etárias, tipo de contratação e modalidade de operadoras.

Sobre o IESS

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas. O Instituto busca preparar o Brasil para enfrentar os desafios do financiamento à saúde, como também para aproveitar as imensas oportunidades e avanços no setor em benefício de todos que colaboram com a promoção da saúde e de todos os cidadãos. O IESS é uma referência nacional em estudos de saúde suplementar pela excelência técnica e independência, pela produção de estatísticas, propostas de políticas e a promoção de debates que levem à sustentabilidade da saúde suplementar.

Mais informações

LetraCerta Inteligência em Comunicação

Vinícius Silva – [email protected]

(11) 94753-8787

Thiago Rufino – [email protected]

(11) 98770-0893

Jander Ramon – [email protected]

(11) 3812-6956

Maioria dos planos odontológicos são corporativos, revela Vox Populi

Setembro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Nos últimos anos, muitas empresas passaram a investir cada vez mais em benefícios voltados aos seus colaboradores para garantir o bem-estar dos profissionais e até mesmo de seus familiares, bem como aumentar as chances de reter talentos na organização. A tendência se reflete no tipo de contratação dos planos odontológicos no País. De acordo com a pesquisa Vox Populi, realizada a pedido do IESS, a maioria dos beneficiários (56%) têm um plano corporativo e o restante (44%) afirmam firmados contratos particulares.

O levantamento mostrou que, entre os beneficiários de planos odontológicos corporativos, metade tem o vínculo pago totalmente ou parcialmente pela empresa em que trabalham. Somente a minoria (5%) paga integralmente pelo plano corporativo. Cabe destacar que a satisfação com os serviços oferecidos registrou recorde, conforme divulgado pelo IESS – relembre.

Para os entrevistados, as principais razões para ter um plano odontológico são “não depender da saúde pública”; “ter mais segurança em situações de emergência”; e, “conforto e tranquilidade em relação à saúde da família”. Já entre os não beneficiários de planos odontológicos, a maioria (75%) considera o benefício importante e mais da metade (56%) gostaria de ter um plano desse tipo.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Acesse à íntegra da pesquisa.

90% dos beneficiários de planos médicos têm intenção de manter o benefício

Agosto 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

A intenção de continuar com o plano de saúde médico-hospitalar atingiu seu maior índice desde 2015. O dado consta na pesquisa realizada pelo Vox Populi a pedido do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) e mostra que 90% dos beneficiários desejam continuar com o benefício. A pergunta foi inserida na pesquisa a partir de 2015. 

O índice de intenção em manter o plano médico tem crescido a cada nova pesquisa. Avançando de 86% em 2015 para 87% em 2017, 88% em 2019 e, agora, em 2021, atingiu 90%. A taxa de recomendação por parte dos beneficiários também cresceu de 79% em 2015 para 86% em 2021 entre aqueles que responderam que recomendariam para amigos e familiares plano de saúde atual. O maior percentual foi encontrado em Manaus, 92%, e o menor em São Paulo, com 83%. 

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do País (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Para acessar a pesquisa na íntegra, clique AQUI

Vox Populi: 9 em cada 10 brasileiros ficaram satisfeitos com o atendimento para Covid-19 recebido via plano de saúde

Julho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Pesquisa do Vox Populi realizada a pedido do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) mostra que 92% dos beneficiários de planos de saúde avaliaram como “muito bom” e “bom” o atendimento recebido para casos de Covid-19. Os dados refletem entrevistas realizadas em abril deste ano com 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país. É a primeira pesquisa que levanta informações sobre atendimentos no período da pandemia.

O resultado é uma média dos números observados em todas as regiões metropolitanas pesquisadas. “A rapidez no atendimento e nos exames diagnósticos são as principais justificativas para a satisfação”, aponta José Cechin, superintendente executivo do IESS. “Vale lembrar que a maioria dos beneficiários afirma que o seu plano de saúde disponibilizou atendimento virtual, o tipo de atendimento mais citado e utilizado pelos entrevistados”, acrescenta. Entre os entrevistados, o atendimento recebido foi excelente, com 92% de avaliação positiva.

A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Pesquisa Vox Populi/IESS é destaque na imprensa

Julho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

A grande imprensa brasileira repercutiu o último levantamento do Vox Populi/IESS sobre a satisfação dos brasileiros com planos de saúde. Entre os destaques, publicações na Folha de São Paulo, Veja, Band, Correio Braziliense e na Agência Brasil.

Todos os veículos mencionaram a evolução da qualidade do serviço por parte do beneficiário. Dentre os destaques, a facilidade e a rapidez para a marcação de consultas e procedimentos. O estudo constatou que quem utiliza o plano de saúde está bastante satisfeito com a assistência.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Para acessar as reportagens citadas, clique nos links abaixo:

Folha de S. Paulo

Veja

Band

Correio Braziliense

Agência Brasil

A publicação completa da pesquisa, você acessa AQUI.

Satisfação com plano odontológico registra recorde, revela Vox Populi

Julho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

O instituto Vox Populi identificou que 83% dos beneficiários de planos odontológicos estão “satisfeitos” ou “muito satisfeitos” com seus planos, registrando o maior patamar da série histórica. A pesquisa foi realizada em abril deste ano. O setor tem crescido em ritmo constante a julgar pelos dados de abril da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) que mostram que o segmento já conta com o número recorde de cerca de 27,7 milhões de vínculos – relembre.

O resultado mostra que indivíduos e empresas continuam a contratar o benefício mesmo durante a pandemia da Covid-19. A mesma tendência acontece em relação à recomendação do plano odontológico atual para familiares e amigos, que chegou em 85% dos entrevistados, e a intenção em continuar com o mesmo benefício, registrado em 89% dos casos.

No geral, as principais razões do brasileiro para a contratação dos planos são “não depender da saúde pública” e “ter segurança em caso de emergência”, ambos com 42%.

Dentro dos recortes regionais, a satisfação com os planos exclusivamente odontológicos também registrou alta. O maior índice foi verificado em Porto Alegre (98%), e o menor em Belo Horizonte (79%). O Rio de Janeiro apontou 87%; Brasília teve a marca de 85%; Salvador, com 89%; Recife, com 84% e Manaus, com 91%.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Acesse aqui a íntegra da pesquisa.

Satisfação com plano odontológico registra recorde, revela Vox Populi

Julho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

O instituto Vox Populi identificou que 83% dos beneficiários de planos odontológicos estão “satisfeitos” ou “muito satisfeitos” com seus planos, registrando o maior patamar da série histórica. A pesquisa foi realizada em abril deste ano. O setor tem crescido em ritmo constante a julgar pelos dados de abril da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) que mostram que o segmento já conta com o número recorde de cerca de 27,7 milhões de vínculos – relembre.

O resultado mostra que indivíduos e empresas continuam a contratar o benefício mesmo durante a pandemia da Covid-19. A mesma tendência acontece em relação à recomendação do plano odontológico atual para familiares e amigos, que chegou em 85% dos entrevistados, e a intenção em continuar com o mesmo benefício, registrado em 89% dos casos.

No geral, as principais razões do brasileiro para a contratação dos planos são “não depender da saúde pública” e “ter segurança em caso de emergência”, ambos com 42%.

Dentro dos recortes regionais, a satisfação com os planos exclusivamente odontológicos também registrou alta. O maior índice foi verificado em Porto Alegre (98%), e o menor em Belo Horizonte (79%). O Rio de Janeiro apontou 87%; Brasília teve a marca de 85%; Salvador, com 89%; Recife, com 84% e Manaus, com 91%.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Acesse aqui a íntegra da pesquisa.