Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Número de beneficiários de planos odontológicos cresce 10,1% em 12 meses

Setembro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Aumento foi puxado principalmente por novos contratos individuais e familiares

A contratação de plano de saúde exclusivamente odontológico registrou alta de 10,1% nos últimos 12 meses encerados em julho deste ano, atingindo 27,9 milhões de beneficiários. As informações são da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB), do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). O resultado foi impulsionado pela contratação de planos individuais ou familiares (19,2%), seguido por coletivo por adesão (9,9%) e empresarial (8,1%).

Por faixa etária, a maior alta foi entre beneficiários com 59 anos ou mais (13,9%). Entre pessoas de 19 a 58 anos e até 18 anos, as variações no período foram, respectivamente, 10% e 8,8%. Vale destacar que, nas regiões Norte e Sul do país, a contratação de planos exclusivamente odontológicos foi superior a 13% – valor acima da média nacional. O resultado aponta para a tendência registrada pela pesquisa Vox Populi, realizada a pedido do IESS em abril deste ano. O levantamento revelou que o plano odontológico é mais importante que o seguro de automóvel, viagens e eletrodomésticos novos, por exemplo, sejam beneficiários de plano de saúde ou não. Veja a íntegra aqui.

No intervalo, o saldo de contratações foi positivo todos os meses, sendo junho de 2021 o mês que registrou o maior número de adesões com pouco mais de 1,1 milhão de novos vínculos. Em números absolutos, o Estado de São Paulo apresentou o maior aumento com 1.161.850 de novos beneficiários. Já a maior queda foi registrada em Roraima, com a perda de 1.332 vínculos.

A NAB consolida os mais recentes números de beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares e exclusivamente odontológicos, divididos por estados, regiões, faixas etárias, tipo de contratação e modalidade de operadoras.

Sobre o IESS

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas. O Instituto busca preparar o Brasil para enfrentar os desafios do financiamento à saúde, como também para aproveitar as imensas oportunidades e avanços no setor em benefício de todos que colaboram com a promoção da saúde e de todos os cidadãos. O IESS é uma referência nacional em estudos de saúde suplementar pela excelência técnica e independência, pela produção de estatísticas, propostas de políticas e a promoção de debates que levem à sustentabilidade da saúde suplementar.

Mais informações

LetraCerta Inteligência em Comunicação

Vinícius Silva – [email protected]

(11) 94753-8787

Thiago Rufino – [email protected]

(11) 98770-0893

Jander Ramon – [email protected]

(11) 3812-6956

AE NAB Plano odontológico São Paulo

2 a cada 5 paulistas possuem plano odontológico

Agosto 2021

Em junho de 2021, o número de beneficiários com planos de assistência exclusivamente odontológica no Estado de São Paulo (SP) ultrapassou a marca histórica de 10,2 milhões de vínculos, o que significa taxa de cobertura de 38% (ou cerca de 2 a cada 5 paulistanos). Em termos comparativos, é como se todos os residentes do Estado de Pernambuco tivessem um plano odontológico.

Satisfação com plano odontológico registra recorde, revela Vox Populi

Julho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

O instituto Vox Populi identificou que 83% dos beneficiários de planos odontológicos estão “satisfeitos” ou “muito satisfeitos” com seus planos, registrando o maior patamar da série histórica. A pesquisa foi realizada em abril deste ano. O setor tem crescido em ritmo constante a julgar pelos dados de abril da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) que mostram que o segmento já conta com o número recorde de cerca de 27,7 milhões de vínculos – relembre.

O resultado mostra que indivíduos e empresas continuam a contratar o benefício mesmo durante a pandemia da Covid-19. A mesma tendência acontece em relação à recomendação do plano odontológico atual para familiares e amigos, que chegou em 85% dos entrevistados, e a intenção em continuar com o mesmo benefício, registrado em 89% dos casos.

No geral, as principais razões do brasileiro para a contratação dos planos são “não depender da saúde pública” e “ter segurança em caso de emergência”, ambos com 42%.

Dentro dos recortes regionais, a satisfação com os planos exclusivamente odontológicos também registrou alta. O maior índice foi verificado em Porto Alegre (98%), e o menor em Belo Horizonte (79%). O Rio de Janeiro apontou 87%; Brasília teve a marca de 85%; Salvador, com 89%; Recife, com 84% e Manaus, com 91%.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Acesse aqui a íntegra da pesquisa.

Satisfação com plano odontológico registra recorde, revela Vox Populi

Julho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

O instituto Vox Populi identificou que 83% dos beneficiários de planos odontológicos estão “satisfeitos” ou “muito satisfeitos” com seus planos, registrando o maior patamar da série histórica. A pesquisa foi realizada em abril deste ano. O setor tem crescido em ritmo constante a julgar pelos dados de abril da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB) que mostram que o segmento já conta com o número recorde de cerca de 27,7 milhões de vínculos – relembre.

O resultado mostra que indivíduos e empresas continuam a contratar o benefício mesmo durante a pandemia da Covid-19. A mesma tendência acontece em relação à recomendação do plano odontológico atual para familiares e amigos, que chegou em 85% dos entrevistados, e a intenção em continuar com o mesmo benefício, registrado em 89% dos casos.

No geral, as principais razões do brasileiro para a contratação dos planos são “não depender da saúde pública” e “ter segurança em caso de emergência”, ambos com 42%.

Dentro dos recortes regionais, a satisfação com os planos exclusivamente odontológicos também registrou alta. O maior índice foi verificado em Porto Alegre (98%), e o menor em Belo Horizonte (79%). O Rio de Janeiro apontou 87%; Brasília teve a marca de 85%; Salvador, com 89%; Recife, com 84% e Manaus, com 91%.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Acesse aqui a íntegra da pesquisa.

Pandemia faz brasileiro manter desejo por planos de saúde, mostra Vox Populi

Julho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Contar com um plano de saúde continua como o terceiro maior desejo do brasileiro, após casa própria e educação, segundo a pesquisa que encomendamos ao Vox Populi. Neste ano, porém, a pandemia levou o brasileiro a uma mudança no perfil de seus desejos de posse e apontou crescimento no interesse por carro próprio, aparelhos celulares, acesso à internet de alta velocidade e computadores. Ou seja, o cenário atual deflagrou um processo de redimensionamento dos desejos da população, ainda que não interfira no ranking geral.

Os quatro itens mais desejados continuam sendo casa própria (1°), educação (2°), plano de saúde (3°) e carro próprio (4°), entre os brasileiros com plano de saúde ou não. Em comparação com as edições anteriores da pesquisa, houve alternância entre educação e casa própria na primeira colocação. Já o plano odontológico, que não era avaliado, ficou na nona posição tanto entre beneficiários quanto não beneficiários.

As alterações no ranking podem ser reflexos do cenário atual. O medo de contágio pela Covid-19 fez o carro voltar a ser objeto de desejo do brasileiro como forma de evitar deslocamentos em veículos com aglomerações, enquanto o distanciamento social impôs maior uso de dispositivos eletrônicos e banda larga, para consultas em telemedicina e aulas online para filhos em idade escolar, por exemplo.

 ‘Segurança’ é motivo de desejo para planos odontológicos

O instituto Vox Populi identificou que, no geral, as principais razões do brasileiro para a contratação dos planos são ‘ter segurança em caso de emergência’ e ‘não depender da saúde pública’, ambos com 42%. Além disso, os resultados que envolvem planos de saúde exclusivamente odontológicos também atingem o melhor patamar na série histórica. A pesquisa revelou que 83% dos beneficiários estão “satisfeitos” ou “muito satisfeitos” com seus planos.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. A íntegra da pesquisa está disponível aqui.

Vox Populi aponta: Satisfação com plano de saúde bate recorde

Junho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Pesquisa que encomendamos ao Instituto Vox Populi revelou que 84% dos beneficiários estão satisfeitos com os planos de saúde médico-hospitalares. Os dados coletados em abril deste ano indicaram que a taxa de satisfação é quatro pontos percentuais acima da pesquisa anterior, de 2019.

A razão do resultado se deve, principalmente, pelo acesso ao plano de saúde no período de pandemia. Uma importante mudança foi o aumento da satisfação com cobertura dos procedimentos por parte do plano de saúde, que teve alta de 10% em relação à pesquisa anterior.

O estudo compreendeu as diferentes percepções do consumidor brasileiro, como a qualidade dos serviços, facilidade e rapidez para a marcação de consultas e procedimentos. Mostra que quem utiliza o plano de saúde está bastante satisfeito com a assistência.

A intenção de continuar com o plano de saúde também registrou o melhor desempenho da série histórica, desde 2015 – ano em que essa pergunta foi inserida na pesquisa. O resultado avançou de 85%, em 2015, para 87% em 2017, 88% em 2019 e, agora em 2021, atingiu 90%. A taxa de beneficiários que recomendariam o seu plano de saúde atual para amigos e familiares avançou de 79% para 86%, entre 2015 e 2021. O maior índice foi encontrado em Manaus (92%) e o menor em São Paulo (83%).

A taxa vem em linha com outros números da pesquisa e reforça que o brasileiro passou a valorizar ainda mais o plano de saúde em meio à pandemia de Coronavírus. O levantamento foi feito em oito capitais metropolitanas e o maior índice foi encontrado na região de Manaus, que sentiu fortes impactos da crise atual.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

A íntegra da pesquisa está disponível aqui.

Covid-19 muda perfil de uso dos planos de saúde

Junho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Os impactos da pandemia de Covid-19 mudaram o perfil de utilização dos planos de saúde. É o que aponta a pesquisa do Vox Populi, realizada a pedido do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) em abril de 2021. O resultado mostrou que o crescimento de exames diagnósticos foi maior do que o de consultas médicas nos 12 meses anteriores à entrevista, invertendo a tendência apresentada nas edições anteriores.

O dado reforça o maior monitoramento da contaminação por Covid-19 ou pelo adiamento das cirurgias eletivas em função do risco da pandemia. Nesta edição, a realização de exames subiu de 78% para 88% em relação à pesquisa anterior. Enquanto, na comparação com 2019, o volume de consultas caiu de 86% para 71%.

Entretanto, os procedimentos que foram adiados no final de 2020 vêm pressionando o sistema este ano. Apenas no primeiro trimestre, houve alta de 16% em procedimentos eletivos em comparação ao mesmo período do ano passado. Em relação a 2019, a alta foi de 8%, de acordo com estimativa do setor.

 

Satisfação em alta

O levantamento do Vox Populi revelou também que 92% dos beneficiários de planos de saúde avaliaram como “muito bom” e “bom” o atendimento recebido para casos de Covid-19. O resultado é uma média dos números observados em todas as regiões metropolitanas pesquisadas. 

A eficiência tanto no atendimento quanto nos exames diagnósticos é a principal justificativa para o resultado e mostra que a maioria dos beneficiários afirma que o seu plano de saúde disponibilizou atendimento virtual, o tipo de atendimento mais citado e utilizado pelos entrevistados.

Em abril deste ano, o Vox Populi ouviu 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Porto Alegre, Brasília e Manaus). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. 

A íntegra da pesquisa está disponível aqui 

Pesquisa realizada em abril de 2021 pelo Vox Populi a pedido do IESS, com o objetivo de captar a avaliação dos usuários de planos de saúde sobre os serviços prestados, gerando importantes indicativos de qualidade sobre o setor e o momento de crise sanitária em função do Coronavírus.

Cresce a satisfação com o plano de saúde, aponta Vox Populi

Junho 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

Pesquisa do Vox Populi realizada a nosso pedido revela aumento na satisfação com os planos de saúde. A cada 10 brasileiros com planos médico-hospitalares, 8 estão “satisfeitos” ou “muito satisfeitos”. A taxa de 84% é 4 pontos percentuais acima da pesquisa anterior, de 2019. Já os índices de recomendação e a intenção de manterem o plano atual atingiram os melhores resultados da série histórica da pesquisa, com desempenho de 86% e 90%, respectivamente.

O levantamento avaliou a percepção dos beneficiários com seus planos odontológicos, que também alcançou o maior patamar da série histórica. A pesquisa apontou que 83% dos beneficiários de planos odontológicos estão “satisfeitos” ou “muito satisfeitos”. Inclusive, como em anos anteriores, contar com um plano de saúde é o terceiro maior desejo do brasileiro, após casa própria e educação. Além disso, 66% dos não beneficiários desejam ter um plano de saúde.

Cabe destacar que essa é a primeira pesquisa que levanta informações sobre o período da pandemia. Os beneficiários se mostraram satisfeitos com a prestação de serviço: 92% avaliaram como “muito bom” e “bom” o atendimento recebido para casos de Covid-19. Já entre os não beneficiários de planos médico-hospitalares, 58% afirmaram que estariam mais seguros tendo um plano de saúde neste momento.

Como sempre reforçamos, a complexidade que envolve o setor de saúde suplementar no país requer a atenção e o envolvimento dos diferentes agentes na construção de ferramentas e prioridades para o aperfeiçoamento dessa cadeia. Nesse sentido, pesquisas como essa facilitam a discussão dos temas sensíveis e a reunião dos diversos elos do segmento para a construção de um segmento cada vez mais forte e com mais capacidade de evoluir no cuidado ao paciente. 

Os dados refletem entrevistas realizadas em abril deste ano com 3,2 mil pessoas (1,6 mil beneficiários e 1,6 mil não beneficiários) em oito regiões metropolitanas do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Salvador, Recife e Manaus. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais (p.p.) para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. 

A íntegra está disponível no link 

Aumenta cobertura dos planos exclusivamente odontológicos

Dezembro 2019
Salvar aos favoritos Compartilhar

Como adiantamos há alguns dias, o total de beneficiários de planos exclusivamente odontológicos alcançou o maior número registrado até o momento, ultrapassando os 25 milhões de beneficiários.  

Segundo dados da 39ª edição da Nota de Acompanhamento de Beneficiários (NAB), o crescimento foi de 5,7% entre agosto de 2018 e o mesmo mês de 2019, chegando a 12% da população brasileira.  

As três faixas etárias nas quais a categoria é dividida apresentaram variações positivas. O maior avanço foi registrado na faixa de 19 a 58 anos, que chegou a 18,3 milhões de pessoas, seguido de um aumento de 4,9 milhões entre os beneficiários de 0 a 18 anos. A menor variação aparece no grupo a partir dos 59 anos, com 1,9 milhão de novos vínculos. 

No período de 12 meses encerrado em agosto deste ano, foram contabilizados 1,4 milhão de novos contratos exclusivamente odontológicos. Em toda a série histórica, com início em 2000 – quando os dados passaram a ser mensurados -, a categoria teve variação positiva de 865,8% com adição de 22,5 milhões de vínculos. Para se ter uma ideia, os planos de assistência médico-hospitalar tiveram variação de 52,1% no mesmo período. 

Em valores percentuais, a alta dos planos odontológicos neste último ano é muito superior à dos planos médico-hospitalares, que foi de 0,1% no mesmo período. Apesar da modalidade exclusivamente odontológica ser um grande destaque no País, ainda há muito potencial para expansão, tendo em vista que a assistência médico-hospitalar possui 47 milhões de beneficiários – quase o dobro do número de vínculos de planos odontológicos. 

Além de serem mais acessíveis do que os médico-hospitalares, os planos exclusivamente odontológicos têm sido, cada vez mais, ofertados pelos contratantes como forma de atrair e reter talentos.  

Confira a análise completa aqui. Continuaremos trazendo outros destaques.