Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Taxa de cesarianas na Saúde Suplementar apresenta queda lenta

Outubro 2021
Salvar aos favoritos Compartilhar

https://medicinasa.com.br/cesarianas-saude-suplementar/

Confira a nova edição do Boletim Científico IESS

Janeiro 2020
Salvar aos favoritos Compartilhar

Acabamos de publicar a 26º edição do Boletim Científico IESS, que reúne seis importantes publicações científicas com foco em saúde suplementar. Os trabalhos analisados foram publicados nas principais revistas científicas do Brasil e do mundo nas áreas de saúde, tecnologia, economia e gestão ao longo do 2º semestre de 2019. 

Voltado para pesquisadores acadêmicos e gestores da área de saúde, o Boletim Científico tem o objetivo de apresentar estudos, atualizações e orientações que forneçam ferramentas para auxiliar na tomada de decisões. A edição mais recente apresenta pesquisas que abordam impactos de corrupção no sistema de saúde; programas de ampliação de acesso à saúde; alimentação; e muito mais. 

Entre os trabalhos abordados na publicação, na seção Economia & Gestão, destacamos a análise “Corrupção mundial na saúde: um segredo que todos sabem”, que aponta um desperdício de US$ 700 bilhões a US$ 1,75 trilhão por ano.

Já o destaque em Saúde & Tecnologia ficou para “Fatores associados ao tempo de permanência hospitalar de mulheres submetidas à cesariana”, que possibilitou a construção de perfis distintos de riscos associados à idade e comorbidades que podem alongar a duração do tempo de internação pós-parto.

Nos próxmos dias, vamos analisar esses e outros destaques dessa edição aqui no blog. Não perca!

 

OMS alerta: 303 mil mulheres morrem ao ano durante a gravidez ou na hora do parto

Agosto 2016
Salvar aos favoritos Compartilhar

A Organização Mundial da Saúde (OMS) acaba de divulgar que, anualmente, 303 mil mulheres morrem durante a gravidez ou na hora do parto. É um alerta mundial para haver mais atenção a esse tema. E, para o Brasil, chega em um momento especialmente importante, por conta dos intensos debates a respeito da prevalência dos partos por cesarianas e riscos que isso gera às mães e aos bebês.

Tratamos desse assunto algumas vezes aqui no blog, mas vale a pena somar-se a esse esforço da Organização das Nações Unidas (ONU) em expandir a conscientização a respeito do tema. Nossa visão, reiteramos, é que deve prevalecer a decisão tomada entre a mãe e o médico, sempre visando a segurança. Tanto que a ONU destacou taxativamente que o dia do parto é o mais perigoso da vida da mãe e da criança.

Não custa retomar a informação que trouxemos na 12ª Edição do Boletim Científico do IESS, que apresenta um estudo produzido pelos pesquisadores Ana Paula Esteves Pereira, Marcos Nakamura Pereira, Maria do Carmo Leal e Marcos Nakamura Pereira, da Fundação Oswaldo Cruz (RJ), que constata que o risco de morte materna pós-parto é três vezes maior em cesarianas quando comparado a outras modalidades de parto.

Ainda que, em todo o mundo, registre-se progressos na prevenção de mortes maternas, a ONU acredita que ainda falta muito a ser feito. Para ajudar, criou a publicação: Time to respond: a report on the global implementation of maternal death surveillance and response (MDSR) – Tempo de resposta: um relatório global sobre a implementação de vigilância e resposta ao óbito materno, em tradução livre.

Também publicou um infográfico (a seguir) a respeito do assunto. Infelizmente, só disponibilizado no idioma inglês. 

ONU

Destaque do Boletim Científico IESS, estudo diz que cesarianas triplicam risco de morte materna

Maio 2016
Salvar aos favoritos Compartilhar

Estudo produzido pelos pesquisadores Ana Paula Esteves Pereira, Marcos Nakamura Pereira, Maria do Carmo Leal e Marcos Nakamura Pereira, da Fundação Oswaldo Cruz (RJ), constatou que o risco de morte materna pós-parto é três vezes maior em cesarianas quando comparado a outras modalidades de parto. O estudo, intitulado “Cesariana e mortalidade materna pós-parto: um estudo de caso-controle de base populacional no Brasil”, é um dos destaques da décima segunda edição do Boletim Científico IESS

Para chegar nesse resultado, foram excluídas da análise mulheres com gravidezes múltiplas e mulheres cuja causa de morte foi de uma condição presente antes do início do trabalho de parto e que pode também ter afetado a probabilidade de ter sido realizada uma cesárea. Os principais riscos relacionados ao procedimento são morte por hemorragia pós-parto e complicações na anestesia.

Segundo os pesquisadores, as cesárias respondiam, em 2014, por mais da metade dos partos no Brasil, equivalendo a 57% dos casos. Os autores informam que 84% desses procedimentos são realizados antes do início do trabalho de parto, provavelmente, na hipótese por eles apontada, por “razões não médicas”. Eles destacam que a segurança ao paciente evoluiu nos últimos anos, mas que, ainda assim, a tendência de aumento das cesarianas é motivo de preocupação, por ser um fator de risco de mortalidade materna. 

Os pesquisadores recomendam que médicos e pacientes analisem os benefícios e os riscos do procedimento e, além disso, sugerem que políticas para a saúde da mulher precisam levar em conta que uma redução das taxas excessivas de cesáreas pode impedir mortes maternas. 

Boletim Científico IESS é uma publicação voltada para pesquisadores acadêmicos e gestores da área de saúde. Indica os principais estudos científicos, nacionais e internacionais, publicados no último bimestre sobre saúde, tecnologia, economia e gestão no setor de saúde suplementar. O objetivo é auxiliar pesquisadores e gestores da saúde suplementar a se manterem atualizados sobre os principais estudos publicados recentemente.